JOAN CRAWFORD EM: FOLHAS MORTAS (THE AUTUMN LEAVES)

A parceria mais famosa entre Joan Crawford e Robert Aldrich se deu em "O que terá Acontecido à Baby Jane" (What Ever Happened to Baby Jane?) de 1962, onde Joan Crawford divide as atenções com sua famosa rival Bette Davis e Aldrich além de dirigi-las, tem também de apagar as faíscas causadas por ambas nos bastidores. Mas anos antes Joan e Aldrich, fizeram um filme bastante sensível e comovente chamado "Folhas Mortas" (The Autumn Leaves), em 1956.
No filme, Joan interpreta Millicent, uma mulher solteira e bastante solitária, que trabalha como estenógrafa, no prédio onde mora, em Los Angeles. Millicent ganha de um de seus clientes, um ingresso para um concerto. Millicent vai sozinha. Durante o concerto, Millicent se recorda de um amor do passado que ela teve que renegar, por causa da doença de seu pai. Após o concerto, ela decide ir a um café e se senta na última mesa disponível.
Burt Hanson (Cliff Robertson), entra no café e ao ver que o único lugar disponível é na mesa em que Millicent está, pergunta se pode sentar-se com ela. Desconfiada, ela permite e ambos começam a conversar. Ao acompanhar Millicent atpe sua casa, Burt a convida para um próximo encontro, que Millicent aceita. No final do encontro, insegura, ela pede para que Burt, se encontre com mulheres de sua idade e pede para que ele não volte a procurá-la. Burt não aceita a recusa de Millicent e continua a encontra-la. 
Durante um desses encontros, Burt expressa seu desejo em se casar com Millicent que de início fica bastante assustada, mas que acaba concordando. Após se casarem, Millicent começa a perceber incoerências em coisas que Burt lhe conta sobre sua vida e começa a se sentir insegura a respeito da integridade de seu marido. Então, Millicent começa aos poucos a descobrir o passado de seu marido.
Enquanto Millicent começa a descobrir a verdadeira história de vida de seu marido, ela sofre um terrível golpe ao saber também que ele é portador de esquizofrenia. Ao descobrir isso, Millicent se vê em um terrível dilema em se deve internar o marido ou não e se quando ele se curar, ele vai amá-la como antes. 
O título original do filme seria "The Way We Are", mas foi mudado devido ao sucesso da música "The Autumn Leaves", cantada por Nat King Cole e que estava fazendo bastante sucesso na época. A música é executada logo no início do filme. O título original da música é "Les Feuilles Mortes" e foi bastante popularizada graças a interpretação de Yves Montand no filme "Portas da Noite" (Les Portes de la Nuit) de 1946. A versão em inglês da música, foi escrita pelo compositor Johnny Mercer em 1949.
O filme foi realizado a partir de um roteiro escrito por Jean Rouvero, Hugo Butler, Robert Blees e Lewis Meltzer, porém Jean e Hugo que eram também casados, não tiveram seus nomes nos créditos, por pertencerem à Lista Negra de Hollywood. Essa lista detinha nomes de roteiristas, atores, diretores e vários artistas que eram simpatizantes do Comunismo. Para entrar na lista bastava apenas ser indicado por algum conhecido. Dois nomes mais famosos da lista era o do roteirista Trumbo e da escritora e dramaturga Lillian Hellman.
Pelo seu trabalho na direção, Aldrich recebeu um Urso de Prata no Festival Internacional de Berlin. Antes do nome de Cliff Robertson, ser sugerido, Joan Crawford chegou a comentar com Aldrich que gostaria que Marlon Brando fizesse o papel de Burt, porém Brando respondeu sarcasticamente que "não estava interessado em fazer filmes sobre mães e filhos".

"Folhas Mortas" foi lançado pela Classicline. Clique na capa, para maiores informações ou para comprar:

***

JOAN CRAWFORD EM: FOLHAS MORTAS (THE AUTUMN LEAVES) JOAN CRAWFORD EM: FOLHAS MORTAS (THE AUTUMN LEAVES) Reviewed by Rodrigo Veninno on 03:00 Rating: 5

Nenhum comentário:

Obrigado por comentar!!!

Tecnologia do Blogger.