A PRESERVAÇÃO DOS FILMES MUDOS

A era do cinema silencioso americano, é datada entre os anos de 1912 a 1929. Ao todo estão catalogados cerca de 10 mil filmes. Desses filmes catalogados apenas uma pequena porcentagem (14%) sobreviveu ao tempo em sua forma original. 11% sobreviveram, mas não em sua forma original. Alguns filmes foram editados ou censurados. Cerca de 5% dos filmes sobreviveram de forma incompleta, com alguns rolos faltantes. Os 70% restantes são de filmes considerados totalmente perdidos. A MGM é o maior estúdio com filmes mudos sobreviventes. O estúdio começou a jornada de preservação ainda na década de 60. 
Há várias maneiras de se catalogar um filme:
*Completo: quando o filme encontra-se em sua forma original.
* Um rolo faltante: quando apenas um rolo que compõe o filme está faltando.
* Não completo: quando faltam dois ou mais rolos, impossibilitando a compreensão do filme.
* Fragmentos: quando existe apenas um rolo (ou menos) ou partes aleatórias do filme.
*Perdido: quando não existe nenhum fragmento do filme.
A maioria dos filmes mudos eram filmados em 35 milímetros, porém, ao serem exportados ou duplicados, usavam-se filmes com milimetragem inferior. Chegaram aos tempos atuais diversos filmes concebidos em 35mm, mas cujo negativo original não existe mais. Muitos desses filmes existem em cópias de 28, 16, 9,5 e 8 milímetros. Havia raros casos em que o diretor optava em filmar com uma milimetragem diferente da de 35.
Nos Estados Unidos, os filmes sobreviventes, estão em sua maioria guardados em cinco grandes arquivos de filmes. Os mais famosos são: George Eastman House, The Museum of Modern Art e UCLA.  Existem casos do mesmo filme possuir cópias nos cinco arquivos: "Intolerância" é um deles. "A Fool There Was" e "East Lynne", dois dos poucos filmes sobreviventes de Theda Bara, só chegaram aos tempos atuais, por terem cópias no The Museum of Modern Art.
Em 9 de julho de 1937, um grande incêndio atingiu os estúdios da Fox. O incêndio obteve imensas proporções graças ao nitrato de prata, um componente inflamável dos negativos de filmes. O incêndio causou uma morte, além da perda de grande parte do acervo da Fox produzido antes de 1932. O incêndio chamou a atenção para a forma em como os filmes eram arquivados e em como o nitrato poderia ser um elemento perigoso. Na época do incêndio, os administradores do estúdio não perceberam a grande perda que havia ocorrido. Para eles os filmes perdidos no incêndio eram apenas "filmes antigos".
Diversos astros e estrelas do passado da Fox, tiveram seus filmes consumidos pelas chamas. Theda Bara talvez tenha sido a mais prejudicada de todos. Hoje, dos mais de 40 filmes estrelados por ela, apenas 6 sobreviveram e muitos deles foram encontrados em arquivos de museus. Alguns filmes perdidos no incêndio, foram encontrados ao redor do mundo, em cópias inferiores.
Mesmo com a Fox perdendo grande parte de seu acervo no incêndio, ela não é o estúdio com o maior número de filmes perdidos. Esse título pertence à Paramount com cerca de 861 filmes perdidos, um número bastante assustador. Em segundo lugar vem a Universal com 690 e em terceiro a Fox com 683.
Em 1965, foi a vez da MGM sofrer um incêndio em seus arquivos. Foi nesse incêndio que a MGM perdeu a única cópia de "London After Midnight", estrelado por Lon Chaney. Hoje, "London After Midnight" é um dos filmes perdidos mais famosos da MGM e muitos estudiosos de cinema estão mundo a fora em busca de uma cópia sobrevivente escondida. 
Foi nesse incêndio também que foi perdida a única cópia completa de "A Mulher Divina", estrelado por Greta Garbo. Hoje o filme conta apenas com um fragmento. A MGM talvez tenha sido o estúdio com mais consciência de preservação. Desde a década de 30, criava cópias de negativos e distribuía para os museus. Na década de 60, já possuía uma noção do valor histórico dos filmes e já mantinha um esquema de preservação dos negativos.
Há casos em que o estúdio consegue recuperar o filme através dos museus ou através de coleções particulares. Muitos dos filmes perdidos, foram encontrados em coleções privadas. Há casos bizarros de filmes encontrados em celeiros, depósitos, entre outros lugares incomuns. "A Paixão de Joana D'Arc", filme francês, foi encontrado em um sanatório, na Noruega. 
Existem também os museus estrangeiros que preservaram muito do cinema americano. Cópias de filmes considerados perdidos como "Esposa Mártir" (Beyond the Rocks), "Lucky Star", "Solidão" (Lonesome), "True Heart Susie", "Laugh, Clown, Laugh", entre outros, foram encontrados fora do território americano.

Me ajudou muito na elaboração desse artigo, a apostila contida no link abaixo:
https://www.loc.gov/programs/national-film-preservation-board/preservation-research/silent-film-database/

Aproveitem e leiam uma série que fiz sobre filmes que já foram considerados perdidos:
(LINK).

Postar um comentário

0 Comentários