FILMES MUDOS COM CRÍTICAS SOCIAIS

Filmes com críticas sociais, não são uma novidade dos filmes falados. Ainda na era silenciosa, haviam filmes que abordavam temas como estupro, machismo, métodos contraceptivos, prostituição, homossexualidade, entre outros. E o mais bacana disso, era que esses temas eram abordados com bastante naturalidade e sem determinados esteriótipos que foram surgindo com a chegada dos filmes falados e dos códigos de censura. Trago hoje,  uma lista com filmes interessantíssimos. Alguns infelizmente não são tão famosos e reconhecidos e isso é uma pena.

Shoes
Dirigido por Lois Weber, conta a história de uma moça, cujo desejo é  comprar um novo par de sapatos, mas ela nunca consegue esse desejo tão simples, pois de certa forma é explorada por sua família. Ela dá todo o seu salário para sua mãe e seu pai não quer saber de trabalhar. A situação piora, quando ela é assediada por um cliente da loja em que trabalha e seu único par de sapatos começa a deteriorar. Ela então toma a difícil decisão de se prostituir para poder comprar um novo par de sapatos. A prostituição nesse filme é abordada de forma humana e sem julgamentos e sem qualquer tipo de esteriótipo denegrindo as mulheres.

Diferente dos Outros (Anders als die Andern)
Considerado o primeiro filme a falar sobre homossexualidade (já dediquei um post inteiro sobre ele aqui no blog), foi produzido na Alemanha antes do Nazismo. É um filme percursor, pois a homossexualidade sempre foi tratada como tabu no cinema e esse é um dos poucos filmes desse período em que o personagem  homossexual não é retratado de forma caricata ou debochada. O filme falava inclusive sobre pessoas que não aceitavam a homossexualidade e achavam que ela deveria ter uma "cura". Foi um filme que causou a fúria de entidades religiosas e com a chegada do Nazismo teve suas cópias destruídas e quase se tornou um filme perdido.

Sublime Redenção (The Red Kimona)
O filme fala sobre uma garota que se apaixona por um rapaz que a usa como prostituta, tornando-se seu cafetão. Em um ato de desespero, ela o mata e vai presa. Após cumprir sua pena ela sofre diversos preconceitos por ser uma ex-detenta. O mais interessante sobre esse filme, além das críticas à prostituição e ao preconceito aos ex-detentos, é que ele foi produzido em maior parte por mulheres.

As Consequências do Feminismo (Les résultats du féminisme)
Produzido e dirigido por Alice Guy-Blaché, não seria exagero dizer que esse curta pode ser considerado uma das primeiras críticas sociais da história do cinema. O curta pega um pensamento machista, em que os homens acreditam que o Feminismo seria uma imposição das mulheres sobre eles e faz disso uma grande sátira.

A Vida Sexual dos Prisioneiros (Geschlecht in Fesseln – Die Sexualnot der Strafgefangenen)
Um filme que aborda a história de um homem casado que comete um crime e é preso. Na prisão acaba sofrendo de abstinência sexual, até que com a chegada de um outro detento, ele passa a repensar seus valores sexuais. O interessante desse filme é que ele aborda também a abstinência da esposa que está do lado de fora e tenta resistir aos cortejos de um amigo do casal. É um filme bastante esquecido e obscuro sobre o tema da vida sexual de pessoas presas.

A Aldeia do Pecado (Baby Ryazanskie)
Um filme que infelizmente é bastante obscuro e que fala de temas que infelizmente são atuais: estupro, machismo e demonização da mulher estuprada. O filme conta a história de um casal que se separa por causa da guerra. A moça fica morando com a família do rapaz e sofre com os assédios do pai do rapaz e com o desprezo das duas mulheres da casa, que são regidas pelo patriarcado e pouco se importam com isso. Ela acaba sendo estuprada pelo pai do rapaz e vira motivo de vergonha da aldeia, ao engravidar dele.

Onde Estão Minhas Crianças? (Where Are My Children?)
Mais um filme dirigido por Lois Weber. Talvez o mais complexo dela, pois toca em diversas feridas sociais. O filme fala sobre controle de natalidade, mas condena o aborto. Ao mesmo tempo em que condena o aborto, critica o fato dele ser um privilégio das mulheres ricas. Outra crítica presente no filme é o fato da mulher ser vista pela sociedade como uma reprodutora. A protagonista é vista como egoísta por não querer ter filhos, enquanto seu marido deseja o contrário. O filme enfatiza muito se o caso fosse contrário, se o homem não quisesse ter filhos, se ele seria visto como egoísta também.

The Devil's Needle
Produzido em 1916, esse foi um dos filmes pioneiros sobre consumo de drogas e reabilitação social dos viciados. Chegou a ser censurado em diversos lugares.

When Little Lindy Sang
Dirigido por Lule Warrenton, é um curta-metragem que aborda o racismo e o bullying no ambiente escolar.


Postar um comentário

0 Comentários