OS VENENOS DE BILHETERIA DE HOLLYWOOD - BOX OFFICE POISON

Norma Shearer, Greta Garbo e Mae West

1939, seria considerado o ano de ouro do cinema. Nesse ano que foram produzidas algumas das maiores pérolas do cinema: "...E o Vento Levou" (Gone With The Wind), "Ninotchka", "Vitória Amarga" (Dark Victory), "O Mágico de Oz" (The Wizard of Oz), "O Morro dos Ventos Uivantes" (Wuthering Heights), entre outros. Mas no ano anterior, Hollywood havia engrentado uma grande crise com os seus filmes. As pessoas não estavam interessada nos filmes e nem nos astros e estrelas. Hollywood buscava uma solução e ao mesmo tempo buscava um culpado. Quem apontaria o culpado, ou melhor culpados, seria a Independent Theatre Owners Association, uma organização composta por donos de cinemas, que achou que a culpa dos fracassos dos filmes vinham dos atores e das atrizes. Foi a partir daí que surgiu o termo "Veneno de Bilheteria" (The Box Office Poison), que tiraria o sono de muitos atores e atrizes, além é claro, dos donos de estúdios.

Fred Astaire

Muitos fatores contribuíram para o fracasso de muitos filmes em 1938, um deles era a visão da Segunda Guerra Mundial no horizonte, fato que impossibilitava a distribuição dos filmes em outros países. Se um filme fracassasse nos EUA, não era possível recuperar parte dos gastos com o lucro das bilheterias de outros países. Anteriormente, haviam muitos casos de filmes que fracassavam nos EUA, mas que faziam sucesso absurdo em outros países e o lucro no final acabava compensando os gastos e a dor de cabeça que o fracasso do filme havia causado nos EUA.

Marlene Dietrich

Em 3 de maio de 1938, a Independent Theatre Owners Association, publicou no jornal Hollywood Reporter, um anúncio de página inteira onde nomeava atores e atrizes como: Mae West, Kay Francis, Greta Garbo, Katharine Hepburn, Fred Astaire, Joan Crawford e vários outros como venenos de bilheteria e criticava os estúdios que pagavam uma fortuna para essas estrelas e astros, cujo filmes não davam retorno financeiro para os estúdios e nem para as redes de cinema.

John Barrymore

Mais tarde novos nomes como Norma Shearer, Dolores del Rio, John Barrymore e Luise Rainer foram incluídos na lista. O termo "veneno de bilheteria" pegou entre os jornalistas e dias após o anúncio ser publicado, diversos jornais e revistas ainda discutiam o assunto. Até mesmo Louella Parsons e Hedda Hopper escreveram sobre a publicação do anúncio e saíram em defesa dos atores e atrizes mencionados na lista.

Katharine Hepburn

Mesmo com o grande boom do cinema em 1939, com grandes filmes nos cinemas, os jornalistas ainda perseguiam os atores e atrizes que eram considerados veneno de bilheteria. Haviam artigos que faziam um balanço dos filmes feitos entre 1938 e 1939 desses atores e atrizes, com o intuito de saberem se eles ainda poderiam ser considerados veneno de bilheteria. 

Kay Francis

Vale lembrar que na época da caça às bruxas, muitas informações não eram expostas ao conhecimento geral. Muitas das atrizes citadas na lista, estavam sendo sabotadas pelos estúdios com os quais possuíam contrato. Joan Crawford, Norma Shearer, Luise Rainer e principalmente Kay Francis são alguns exemplos. Mae West na época estava sendo vítima do Código Hays, que censurava boa parte dos seus filmes, fazendo com que sua popularidade caísse.

Luise Rainer

Outro fator a ser comentado é que esse termo foi mais prejudicial as atrizes do que aos atores. Muitos dos atores que estavam na lista, conseguiram dar a volta por cima e ter de volta sua popularidade, enquanto muitas atrizes decidiram se aposentar do cinema ou passar por um bom período sem atuar. Joan Crawford,  Marlene Dietrich e Katharine Hepburn foram algumas das atrizes que conseguiram recuperar a popularidade.

Joan Crawford

Em 1949, mais uma lista de veneno de bilheteria seria publicada, causando novamente pânico em Hollywood. Sylvia Sidney, James Cagney, Henry Fonda, Jennifer Jones, John Hodiak, Bette Davis e Shirley Temple foram os nomes adicionados a lista. O termo continua sendo usado até hoje, embora tenha um tom menos nocivo do que nas décadas de 30 e 40. Johnny Depp, Eddie Murphy, Katharine Heigl, Nicolas Cage, Daniel Craig, são alguns dos atores contemporâneos que são ou já foram considerados veneno de bilheteria. 

Dolores del Rio


Comentários

Mais Visitados