THERESA HARRIS E A ESPERANÇA POR PAPÉIS MELHORES EM HOLLYWOOD

Talvez alguns dos leitores do blog, não conheçam ou saibam quem foi Theresa Harris, mas pode ser que tenham visto algum filme com ela. O seu desempenho mais famoso está em "Serpente de Luxo" (Baby Face), onde interpreta a amiga (e por vezes criada) da personagem interpretada por Barbara Stanwyck. Com este papel, Theresa teve esperança de ascender em Hollywood e interpretar personagens que fugissem do esteriótipo racial, mas isso infelizmente não ocorreu.

Theresa além de atriz, era também cantora e dançarina. Sua estreia no cinema ocorreu em 1929. Até 1933, fez diversas participações em filmes, sem ser creditada. Sua sorte mudaria ao ser escalada para "Serpente de Luxo" (Baby Face), onde interpretou Chico, amiga da protagonista vivida por Barbara Stanwyck. O filme foi produzido durante o Pre-Code e é considerado um dos maiores filmes deste período. Um ponto interessante a ser mencionado é que a personagem de Theresa possui bastante destaque e aparece em boa parte do filme. Em alguns momentos, a personagem age como empregada, devido às armações em conjunto com a protagonista, mas em alguns momentos sua personagem aparece de forma luxuosa e mostra ter uma vida social, fatores que eram incomuns a personagens negros nos filmes clássicos.

Após o sucesso de "Serpente de Luxo", Theresa pensou que poderia ter destaque em outros filmes, mas isso de certa forma não ocorreu. Ela voltou a fazer papéis pequenos e sem créditos nos filmes. "A Mulher de Paris" (The Worst Woman in Paris?) de 1933, quebraria essa sequência de papéis sem crédito após "Serpente de Luxo". Ainda no mesmo ano, ela faria um papel de empregada doméstica em "Namoradeira Profissional" (Professional Sweetheart), protagonizado por Ginger Rogers. Sua personagem tem um certo peso para a história do filme, mas mesmo assim Theresa não foi creditada.

Passando boa parte das décadas de 30 e 40, fazendo filmes sem ser creditada, ela começou a fazer campanhas em busca de papéis melhores. Em 1939, fez o papel de uma mulher cujo o marido é  assassinado em "Cem Contra Um" (Tell No Tales). Na década de 40, Val Lewton a contratou para diversos papéis na RKO. "Fuga do Passado" (Out of Past), "Sangue de Pantera'' (Cat People), "A Dama Fantasma'' (Phantom Lady), "A Morta-Viva" (I Walked with a Zombie), foram alguns dos filmes que Theresa participou. Em alguns deles ela não é creditada.

Theresa chegou a apresentar-se em programas de rádios e na década de 60, passou a participar de programas televisivos. Em 1958, ela decidiu se aposentar-se. Faleceu em 8 de outubro de 1985, aos 78 anos. Assim como diversas atrizes negras do período clássico de Hollywood, Theresa sempre teve esperança de que um dia as coisas mudariam e que ela poderia brilhar em papéis que não fossem os de empregada doméstica.


"Nunca tive a chance de me sobressair dos papéis de empregada doméstica em Hollywood.
Minha cor estava contra mim de qualquer maneira. (...) Minha ambição é ser atriz.
Hollywood não tem papéis pra mim."

Capa de uma revista com Theresa, com o título: "Empregada de Hollywood"
"Ela ainda tem fé em Hollywood, após 20 anos fazendo papéis de empregada"

Comentários

Mais Visitados