FRANK CAPRA - UM SONHADOR EM HOLLYWOOD

 

Frank Capra poderia tranquilamente ser um personagem de um filme de Hollywood ou até mesmo ser um personagem de seus próprios filmes. Ele era um homem cheio de ideais e sonhos que foi para Hollywod tentar a sorte. Foi contratado pela Columbia, um estúdio com reputação pobre e que era chefiado pelo tirânico Harry Cohn. Mesmo sendo tirânico, Cohn reconheceu seu talento e lhe deu diversas oportunidades de crescer. Capra então aos poucos foi construindo sua carreira, até chegar o grande desafio de sua carreira: “Aconteceu Naquela Noite”, um filme desacreditado por todos. Após diversos problemas envolvendo a produção do filme, ele finalmente é concluído e torna-se um inesperado sucesso e então Capra passa a ser um dos mais respeitados e aclamados diretores de Hollywood. “A Felicidade Não se Compra” (It's a Wonderful Life), hoje considerado um de seus melhores filmes, foi duramente recebido pela crítica. Ironicamente, esse é o filme que mais imprime o estilo otimista que o representou em boa parte de sua carreira. Quando assistimos a um filme dirigido por Capra, sabemos que no final tudo ficará bem, mas mesmo assim é emocionante ver cada minuto do filme, na esperança de que aquilo também aconteça na vida real.

Seu nome de batismo era Francesco Rosario Capra. Nascido na Itália, mudou-se para Los Angeles ainda pequeno. Chegou a formar-se em Engenharia Química, mas não obteve êxito na profissão por causa da guerra. Em 1922, dirige seu primeiro filme “A pensão de Fultah Fisher” (Fultah Fisher’s Boarding House). Após dirigir esse filme, parte para Hollywood. Em Hollywood, passou a elaborar roteiros de comédias, escrevendo para o comediante Harry Langdon.

Em 1928, voltaria a trabalhar com Harry Cohn, que lhe havia contratado anos antes para a produção de um filme, desta vez Cohn era o dono do estúdio, ao invés de produtor. A Columbia, fundada em 1918, pelos irmãos Harry e Jack Cohn, era considerada uma das menores produtoras de filmes. Harry Cohn era um homem bastante ambicioso. Mesmo administrando um estúdio com reputação de “pobre”, ele queria a todo custo competir com os grandes estúdios da época. Contratou Capra, pois havia enxergado um grande potencial nele e o explorou o quanto pôde. Em seu primeiro ano de contrato com o estúdio, dirigiu nove filmes.

Após fazer a transição dos filmes mudos para os falados e dirigir alguns filmes de sucesso como “A Mulher Proibida” (Forbidden), “A Mulher Miraculosa” (The Miracle Woman), “O Último Chá do General Yen” (The Bitter Tea of General Yen), Capra dirige “Dama por um Dia” (Lady for a Day), em 1933, filme que seria um divisor de águas em sua carreira, já que o filme traria o tom de otimismo presente nos filmes posteriores que lhe consagrariam em definitivo em Hollywood. Até então, Capra dirigia muitos filmes dramáticos e algumas comédias pontuadas. “Dama por um Dia”, foi o primeiro filme da Columbia a receber uma indicação ao Oscar na categoria de Melhor Filme. Foi também o primeiro filme a dar uma indicação ao Oscar para Capra.

Em 1934, começaria a produzir o filme que lhe traria prestígio e reputação em Hollywood: “Aconteceu Naquela Noite” (It Happened One Night). A produção desse filme foi bastante tumultuada por causa da recusa de vários atores e atrizes para os papéis principais. Muitos atores e atrizes não acreditavam no sucesso do filme. Claudette Colbert foi escolhida, mas se recusava a ser dirigida por Capra, pois já haviam feito um filme e o resultado foi desastroso. Após muitas conversas e negociações, a atriz aceitou o papel, desde que as filmagens terminassem o mais rápido possível. Clark Gable, segundo lendas, ficou com o papel, após recusar um determinado papel na MGM e Louis B Mayer decidir puni-lo, mandando-o fazer um filme em um “estúdio menor”.

“Aconteceu Naquela Noite”, acabou tornando-se um dos sucessos do ano, surpreendendo até mesmo Capra e os atores principais. Ganhou 5 prêmios nas categorias de: Melhor Ator (Clark Gable), Melhor Atriz (Claudette Colbert), Melhor Diretor (Capra), Melhor Roteiro e Melhor Filme. A partir de então, Capra teve seu nome figurado entre os maiores diretores de Hollywood e a Columbia passou a ser considerado um estúdio respeitável.

Após “Aconteceu Naquela Noite”, Capra se firmaria em Hollywood com seu estilo otimista. Seus filmes a partir de então contariam com personagens em sua maioria inocentes e ingênuos que se deparam com o mundo real e se decepcionam, mas tentam sobreviver e seguir em frente com seus ideais. “O Galante Mr Deeds”, (Mr. Deeds Goes to Town), “Do Mundo Nada se Leva” (You Can't Take It With You), “Horizonte Perdido” (Lost Horizon), “A Mulher faz o Homem” (Mr. Smith Goes to Washington ) “Adorável Vagabundo” (Meet John Doe) e “Este Mundo é um Hospício” (Arsenic and Old Lace), foram filmes que trouxeram prestígio para Capra e para a própria Columbia. Ele ainda recebeu mais dois Oscars na categoria de Melhor Diretor pelos filmes “O Galante Mr Deeds” e “Do Mundo Nada se Leva”, este último levou também a estatueta de Melhor Filme.

Em 1946, produziria “A Felicidade Não se Compra” (It's a Wonderful Life), hoje considerado o seu maior clássico e o filme que mais possui o seu estilo otimista, porém o filme na época de seu lançamento não foi sucesso de bilheteria, fazendo com que o talento de Capra fosse questionado. Mesmo o filme não indo bem em bilheteria, recebeu cinco indicações ao Oscar, incluindo Melhor Filme, Melhor Ator (James Stewart) e Melhor Diretor. Tanto na bilheteria, quanto no Oscar, o filme foi massacrado por “Os Melhores Anos de Nossas Vidas” (The Best Years of Our Lives ) de William Wyler. O filme dirigido por Wyler arrebatou sete estatuetas, entre elas as de Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Ator.

Após o filme entrar por acidente em domínio público, passou a ser exibido na televisão durante o Natal e tornou-se então uma tradição sua exibição durante essa época do ano, por causa disso o filme passou a ser conhecido pelas novas gerações e pôde também ser revisto e reconhecido como um grande clássico e toda a injustiça cometida durante a época do seu lançamento, foi enfim ser reparada.  Durante a década de 40, Capra chegou a produzir documentários sobre a Guerra. Em 1943, recebeu um Oscar na categoria de melhor documentário pela realização de “Prelude to War”. Na década de 50, produziu menos filmes e passou a se dedicar aos documentários educacionais.

Em 1959, realiza seu primeiro filme colorido: “Os Viúvos também Sonham” (A Hole in the Head), protagonizado por Frank Sinatra, Eleanor Parker e Edward G. Robinson. Seu filme final seria a refilmagem de “Dama por um Dia” (Pocketful of Miracles), com Bette Davis e Glenn Ford. Um fracasso de bilheteria e crítica.

Com o fracasso de “A Felicidade Não se Compra”, Capra percebeu que o cinema estava mudando a sua linguagem. Com o pós-guerra, seus filmes passaram a ser vistos como ultrapassados. As pessoas se esqueceram daquele diretor cheio de sonhos e ideais, cujo os filmes traziam um pouco de esperança e alento para as pessoas em momentos tão difíceis. O fracasso do remake de “Dama por um Dia”, seria o ponto final de sua carreira. O filme contou com bastidores turbulentos entre Bette Davis e Glenn Ford. Capra percebeu ali, que a indústria cinematográfica havia realmente mudado, dando mais poder aos atores do que para os diretores. Uma forma de pensar antiquada, fruto de sua época. Durante as décadas seguintes, recebeu diversos prêmios honorários e diversas homenagens. Faleceu em 3 de setembro de 1991, aos 94 anos. Ele permanece vivo através de seus filmes e personagens cheios de sonhos e ideais.

Comentários

Mais Visitados